quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Homer Simpson, a nossa solução.


Se Portugal vier a produzir Energia Nuclear, desde já sugiro que se contrate o Homer Simpson como responsável máximo pela segurança da Central. O tipo tem experiência e não acredito que os portugueses sejam mais sérios e rigorosos que o Homer.

Tá despachadinho

É-bem-verdade que os portugueses deixam tudo para a última hora, mas o Jorge exagera. E com tanta azáfama, agora que está na hora de se-pôr-a-mexer, até podemos começar a pensar que o tipo não fez nada no resto do tempo.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

É pá isso é que foi pena!

Porra!, foi pena, que quando o Freitas do Amaral se enfiou no governo, o PP tenha enviado a fotografia do gajo, que estava no Largo do Caldas, para a sede do PS. Se assim não fosse, enviava-se agora para a Síria ou para o Irão.

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Mohamed Amaryal

Que uma peixeira, um banqueiro, um professor, um palhaço, um doutor ou um engenheiro digam isto, é-lá-com-eles!, agora que seja um ministro de Portugal, a falar em nome do País, é uma vergonha!


Ler Henrique Raposo, n'o Acidental.

Ler Constança Cunha e Sá n'O Espectro.

Ler Vasco Pulido Valente n'O Espectro.

Ler Kropotkine no Anarca Constipado.

E ainda dizem que o homem não está doente !

A comunidade cientifica está a ponderar a hipótese de definir uma nova patologia, a ficar identificada como Síndrome de Manuel Alegre. A sua caracterização patológica é enquadrada de acordo com a seguinte sintomatologia:

  • súbita negação dos grupos com que sempre se identificou
  • rejeição completa aos clubes, comunidades ou agrupamentos em que se encontra ainda inserido
  • quebra e absentismo a compromissos da sua responsabilidade
  • constante utilização da palavra ‘cidadania’

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

vá lá, sorrir, 1...2...

Caso os casamentos homossexuais venham a ser legalizados, a maior complicação parece-me vir a ser para os fotógrafos. Como é que um fotógrafo dum casamento de homossexuais consegue organizar a sessão de fotografias? Não me parece tarefa fácil! “Vá-lá, agora nas escadas, em frente ao adro, uma fotografia de conjunto com os convidados do noivo, juntem-se aí os convidados do noivo ....” pronto!, está logo lançada a confusão .... quem é que é convidado do noivo e quem é que é convidado do noivo, do outro? Será que ninguém pensa nisto?

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

A discutir ...

A propósito do post da Costança Cunha e Sá:
É isso mesmo! Os portugueses, nós!, achamos que o melhor é sempre discutirmos tudo bem discutidinho, não se dê o caso de nos esquecermos de algum detalhe, analisarmos tudo bem analisadinho, não vá alguém ver o que não vimos, falarmos de tudo-e-mais-alguma-coisa, não vá ficar alguma outra por dizer, darmos palpites e bitaites, não vá alguém pensar que o caso tem solução, que cá-para-mim-tenho-que-isto requer um diagnóstico e para tal devíamos de encomendar um estudo a auditores competentes. Talvez-não-fosse-mal-pensado agendar-se já uma reunião para debater a pertinência de um estudo desse teor. Julgo que poderíamos voltar a discutir o assunto e se tiver aceitação então aí pensarmos em elaborar um estudo detalhado de requisitos, depois estaremos em condições de validarmos os cadernos de encargos propostos; é-meu-entender que só aí é que poderemos pensar em debater as várias propostas possíveis. É-que-sem-isso-nada-feito!
E se fizessemos agora um coffee break? hum? o que é que acham? é que parece-me que já estamos todos a ficar cansados. Alguém tem moedas?

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Blog alvo de navegação

Por aqui atiro a lincar: